Viagem Bonito + Vlog - Parte I



Nossa viagem pra Bonito foi mais que perfeita! Ela abriu nossa visão para o Ecoturismo e vimos que conhecer mais da natureza e do nosso Brasil é algo importantíssimo e que faz muito bem pro corpo e pra alma!

Como prometido, vim compartilhar com vocês essa experiência fantástica com fotos e um vlog que gravei durante a viagem. Foi meu primeiro vlog e eu fiquei bem perdida e morrendo de vergonha de falar com a câmera na frente dos outros, tanto que fiquei meio escondida enquanto gravava, hahaha.

Compramos a viagem sozinhos pela internet, sem a ajuda de uma agência de viagens e ficou bem em conta!
Ficamos na Pousada Gira Sol (clique aqui) e fechamos o pacote com café da manhã. Achamos a pousada no Trivago que encaminhou para o site Booking. Pagamos 20% do valor total para reservar o quarto e o restante pagamos assim que chegamos lá. Os funcionários do hotel foram muito simpáticos e prestativos e o café da manhã era variado e muito bom.
Os passeios foram comprados com a Bonitour, agência que é do mesmo dono da pousada, o que facilitou muito a comunicação. Sempre que precisávamos de alguma informação sobre os passeios era só falar com a recepção que eles tinham acesso à tudo.
Fechamos todos os passeios e o transfer do aeroporto com 4 meses de antecedência e parcelamos em 3x + o restante quando chegamos em Bonito. O valor foi um pouco alto, mesmo tendo escolhido passeios mais em conta, mas o preço é padrão, não varia muito de uma agência para a outra.


 GRUTA DO LAGO AZUL


Nosso primeiro passeio foi a Gruta do Lago Azul pela manhã. O local é bem estruturado e limpo. Na recepção tem banheiros, quiosque com comida e bebida, lojinha de presentes e alguns bancos entre as árvores para descasar enquanto não chega nossa vez. É necessário o uso de tênis e capacete (disponível no local) para entrar na gruta e os grupos saem com um intervalo de 15/20 minutos sempre com 15 pessoas no máximo.

A trilha é bem rápida e tranquila, mas quando vai chegando perto da gruta o chão já fica bem escorregadio e alguns locais não tem corrimão, então é preciso tomar muito cuidado ao descer para não levar um tombo. Em algumas partes há um corrimão de corda para auxiliar na descida.


Tivemos a sorte de sermos acompanhados por um excelente guia, o André, que explicou toda a história do local nos mínimos detalhes. Ele explicou que a água é transparente e esse tom de azul que vemos é um fenômeno que ocorre devido a luz do sol bater diretamente no lago e que apesar de parecer raso, o lago é bem fundo e abriga fósseis de Tigre Dente de Sabre e Preguiça Gigante!! 
Imagina a curiosidade que ficamos para ver isso, haha. Mas devido a preservação do lago que também contém uma espécie rara de camarão albino, não podemos chegar nem perto da água para não alterar o ecossistema.


Fotografar dentro da gruta que é um sério problema! Todo mundo quer fazer a sua foto, porém a de ninguém fica boa e demora muito pra liberar a vez.
Como o local é muito escuro, é difícil fotografar com câmera profissional sem tripé, porque se você aumenta a exposição não pode tremer senão fica tudo borrado e com o celular é na sorte, pode ficar bom e pode ficar muito ruim, mas nenhum dá uma foto 100%. O uso de flash não é recomendado porque ele escurece todo o fundo e o principal que é o lago não aparece. 


Esse lugar superou nossas expectativas, tudo que vimos em foto é exatamente o que encontramos lá, foi espetacular. 

CABANAS - ARVORISMO


Após sairmos da gruta, voltamos para almoçar em Bonito e fomos para o Hotel Cabanas fazer arvorismo. Esse passeio não estava no roteiro, mas como iríamos ficar a tarde toda livre resolvemos incluir um mais em conta para não ficar de bobeira no hotel.


Assim que chegamos, tivemos que esperar cerca de meia hora para fazermos o arvorismo, então aproveitamos para tirar algumas fotos no Rio Formosinho que passa pelo hotel. Essa parte do deck era bem funda e não tivemos coragem de entrar (medo de cobra, hahaha), mas ali ao fundo tinha uma cachoeirinha que dava pra sentar nas pedras e acabamos ficando por ali.


Confesso que sempre vi as crianças fazendo arvorismo no shopping e achava a coisa mais boba do mundo, mas gente, o coisa difícil, heim!?
Essa atividade precisa de muuuito equilíbrio, força na perna e atenção, porque uma pisada torta e você cai. Tudo bem que se cair você fica pendurado e o guia te levanta, mas ninguém quer que isso aconteça.


Foram 3 guias acompanhando na atividade, sendo um junto com a gente, um fotografando no chão e o outro esperando nos pontos da tirolesa. O que nos acompanhou conversou bastante com a gente e deixou o passeio mais descontraído, não ficamos tão tensos durante o percurso que durou em média 40 minutos, rs.


A parte que mais deu um medinho foi a tirolesa na água, eu achei que ia morrer afogada! haha. Fiquei enrolando para pular então o guia me deu uma "ajudinha". Deu um mega frio na barriga mas foi muito legal!


Não tinha como levar a câmera, então acabamos comprando o CD que ofereceram pra gente no final, pois as fotos ficaram muito boas e o preço era bom. Valeu a pena ter essa lembrança.

BALNEÁRIO DO SOL


No segundo dia fomos conhecer o Balneário do Sol pela manhã. O local é bem tranquilo, ótimo para quem quer descansar e levar crianças também. Essa parte onde estávamos sentados na foto é uma cachoeira que divide o rio entre a parte rasa e cheia de peixes atrás de nós e a parte funda a frente. Na parte rasa você pode ficar em pé que os peixes nadam em volta de você, é incrível!


Conhecemos duas araras lindas que vivem no balneário, o Kiko e a outra que não me recordo o nome, rs. O Kiko é super de boa, vem com a gente pra tirar foto e é mais amigável, mas ainda assim ele tem seus momentos que se recusa a chegar perto dos visitantes. Já a outra arara é mais arisca, mas adora se mostrar e sempre aparece por perto.
Eu fiquei feliz em ver que apesar deles serem "atração turística" não ficam presos, podem voar quando quiserem, mas vi outros animais por lá que não tem tanta sorte assim.


Logo na entrada do balneário ficam alguns animais como vaca, búfalo, lhama, cavalo e pônei, mas eles ficam amarrados nas árvores para os visitantes andarem neles. Dava pra ver a carinha de triste deles presos ali o dia todo... Eu sou totalmente contra isso, acho que eles deveriam ficar soltos e nada de ninguém andar em animal nenhum, não tem necessidade disso. 



 ECO PARK


Esse foi o passeio mais dramático de toda a viagem! Fomos para o Eco Park na parte da tarde, após o Balneário do Sol para fazermos 3 atividades: Slackline, Stand Up Paddle e Bóia-Cross.
Chegando lá fomos direto à recepção para pegar a pulseira e ver os horários e fomos informados que o "Passaporte" que havíamos comprado e dava direito à essas atividades não existia mais e que não sabiam o que iríamos fazer. Tivemos que esperar um bom tempo até decidirem o que aconteceria e por fim fizemos somente o Stand Up e o Bóia-Cross, pois não ofereciam mais o Slackline devido à acidentes que aconteceram anteriormente.


Seguimos para fazer o Stand Up e gente, que treco difícil! Quem vê os outros fazendo acha que é só ficar de pé e remar, mas tem que ter muuuuito equilíbrio e força para remar. Eu não gostei muito, achei cansativo demais, mesmo o percurso não sendo tão longo.
Assim que terminamos fomos fazer o Bóia-Cross. Se tem uma palavra que define isso é: ARREPENDIMENTO!
Sério, foi a parte mais horrível do passeio. Eram três cachoeiras que tínhamos que descer e o guia disse que para não cair tinha que puxar a bóia assim que ela chegasse na cachoeira, mas não dá certo!! Ou isso precisa de muito treino ou eles falam por falar e não existe forma de não cair. Eu fui com a cara direto na água e engoli muita água. Na primeira vez foi mais de leve, mas na segunda eu me afoguei de verdade, bebi tanta água que não parava de sair da minha boca quando levantei. Foi uma sensação tão ruim que eu quis sair do rio na mesma hora e não terminei o percurso.
O Felipe continuou e na última cachoeira ele quase bateu o rosto em uma pedra quando caiu, sorte que ele teve o reflexo de colocar a mão na frente.
Quando saímos do rio e fomos ver as fotos, um dos guias pediu desculpas pra mim e o outro comentou algo sobre ele e se desculpou também, então eu percebi que ele tinha empurrado a gente na hora de descer da cachoeira, por isso não conseguimos não cair. Fiquei muito brava com isso, achei muita falta de profissionalismo o que fizeram.


A parte boa do Eco Park foi ver essa família lindinha de macaquinhos andando por lá e chegando super perto da gente sem nenhum problema, e a cachoeira que tem no começo do rio e que passamos o resto da tarde.

No vlog vocês podem conferir tudo que eu disse acima e comprovar como é lindo esse lugar! Não esqueça de deixar sua curtida lá no Youtube!


*** Dividi o post em duas partes senão ele ia ficar gigantesco, então na próxima semana coloco a segunda e melhor parte no ar!


ME ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS
INSTAGRAM : @victoriafranzz
FACEBOOK: Meu Pêssego Azul
INSCREVA-SE NO CANAL:  Clique aqui

Comente com o Facebook:

Um comentário :

Bruna Kimura disse...

Vi..
sempre tive vontade de ir pra lá.. Agora com suas fotos e comentários.. da mais vontade ainda.. As fotos ficaram ótimas!!!! Parabéns.

Postar um comentário